terça-feira, 3 de julho de 2012

Hélios


  Hélios era muito conhecido na Grécia antiga pois ele era titã do enorme sol que ilumina e aquece nossos dias, e por isso, já houve várias estatuas e templos para ele, um exemplo é o enorme Colosso de Rodes, que foi demolido por causa de um terrível terremoto. Todos o confundiam com o deus Apolo, que era o deus do sol. Qual a diferença entre Hélios e Apolo? Hélios era um titã e Apolo era um deus Olímpico. Um de seus principais filhos foram Eetes, Circe, Perses e Pasífae.

Textos retirados de outros lugares:

Hélio (em grego: Ἥλιος, "Sol", latinizado como Helius) é a personificação do Sol na mitologia grega. Hélio é filho dos titãs Hipérion e Téia (ou Tia), tendo como irmãos Eos ou Aurora e Selene, a Lua.
É casado com Perseis, filha de Oceano e Tétis. Com ela, Hélio teve vários filhos, entre os quais Eetes, Circe, Perses e Pasífae, que se casou com o rei Minos de Creta. Hélio com Clímene teve sete filhas, as Helíades, e um filho, Faetonte. Higino também dá uma versão alternativa na qual Faetonte é neto de Hélio.
A sua cabeça é coroada por uma auréola solar. Circula a terra com a carruagem do sol atravessando o céu para chegar, à noite, ao oceano onde os seus cavalos se banham. Nada do que se passa no universo escapa ao seu olhar, sendo frequentemente convocado por outros deuses para servir como testemunha. De acordo com o autor romano Ovídio, Hélio conduz uma carruagem puxada por quatro cavalos luminosos: Pírois, Eoo, Éton e Flégon.
Com o passar do tempo, Hélio é cada vez mais identificado com o deus Apolo. No entanto, apesar de seu sincretismo, eles foram muitas vezes vistos como dois deuses distintos (Hélios era um Titã, enquanto Apollo é olímpico). O equivalente de Hélio na mitologia romana é Sol, especificamente Sol Invictus.

(Texto retirado de: http://pt.wikipedia.org)


Na mitologia grega, era a representação divina do Sol em todas as suas fases e latitudes, desde o nascer ao desaparecimento. Filho de Hipérion, era neto de Urano e de Gaia, irmão de Eos, a Aurora, e de Selene, a Lua. Enquanto Apolo era o deus da luz do sol,  ele era o olho do mundo. Percorria o céu todos os dias, de leste para oeste, num carro flamejante puxado por quatro corcéis, para levar luz e calor aos homens. Foi ele quem revelou a Deméter a verdade sobre o rapto de Perséfone por Plutão. Na Grécia clássica, foi cultuado em Corinto e principalmente na ilha de Rodes, onde era considerado o deus principal, honrado anualmente com uma grande festa. Ali seus adoradores ergueram o famoso Colosso de Rodes, um enorme escultura em bronze representando um belo jovem coroado de raios resplandecentes, erguida em sua homenagem, no século III a.C. e considerada uma das sete maravilhas do mundo antigo. Seu filho com Clímene, Faetonte, morreu ao tentar conduzir o carro do Sol, buscando provar sua ascendência divina. Narra a mitologia que a ninfa Clítia, apaixonada pelo deus do Sol e por ele desprezada, foi transformada por Apolo em heliotrópio, flor que gira ao longo do dia sobre seu caule, voltada sempre para o Sol, ou a conhecida flor Girassol.

(Texto retirado de: http://www.dec.ufcg.edu.br)
Postar um comentário